quinta-feira, 14 de agosto de 2008

Ainda estou....

.... processando os dados. Ou seja, aconteceu tanta coisa esta semana que ainda não consegui digerir. O mais fácil seria deixar pra lá e continuar vivendo, mas não consigo. Fico pensando, pensando.... ainda não digeri, ainda não entendi tudo, mas ok, vida que segue...

Agora vamos à parte divertida: Na noite de terça fui com uns amigos do jornal pra uma festa no Morro da Urca. Era esquemão tudo liberado e com um show da Blitz. Eu, simplesmente, tomei o maior porre de toda a minha vida. E isso é sério.

O pior: meu chefe cuidou de mim. Me deu umas quatro garrafas de água pra tentar diluir o tanto de cachaça que bebi. O esquema era o seguinte, quando minha caipirinha acabava eu virava o copo da Carol. Tudo com preguiça de ir pegar outra. Logo, tomei sabe-se lá quantas caipirinhas. Talvez umas cinco ou seis.

Gentem foi um estrago: eu agarrei o Evandro Mesquita, dancei agarrada com desconhecidos, tirei fotos péssimas, caí no chão e, pior, liguei para quem queria, mas não devia. Foda né...

Daí a ressaca moral. Agora entendi pq um carinha sempre me liga qdo está de porre: pq a gente perde mesmo o controle da situação, fala o que não devia, não tem medo de dizer o que pensa/sente.

O que sobrou de mim? Nada. Ou melhor, talvez a vergonha e a certeza de que não quero (posso) beber tão cedo.

Um comentário:

drika disse...

dizem q qdo o álcool entra a verdade sai.